Câmara Municipal de Beja

Espaços Verdes


Jardim dos Namorados          


Localização: Freguesia de São João Batista, zona de expansão, Bairro do Ultramar.

 

Jardim dos Namorados

Imagem satélite do Jardim dos Namorados e a envolvente urbana. (Fonte: Google earth)
 

Enquadramento: O Jardim dos Namorados tem uma localização periférica, a Sul, relativamente ao centro da cidade. O bairro, onde se insere possui estrutura retilínea, é constituído por tipologias mistas de prédios altos e moradias unifamiliares. Como tal, este jardim tem uma dimensão à escala do Bairro.

Os limites do Jardim são definidos pelas Ruas circundantes, a Norte, a Rua de Angola e a Rua de Moçambique, a Sul, a Rua do Estado da Índia e a Nascente, encontra-se “encostado” às fachadas laterais das moradias. 

Data de construção: Em 1960, projeto da autoria dos Arquitetos Paisagistas António Viana Barreto e Álvaro Dentinho.

Área: 3335m2.


Jardim Namorados

Tipologia: Jardim, arquitetura recreativa.

Utilização Atual: Recreio, estadia, fruição, estética e circulação.

Utentes e Ritmo de Utilização: O Jardim é utilizado por diferentes grupos sociais, residentes do Bairro que o frequentam diária ou semanalmente.

Morfologia do Espaço: O aprazível Jardim dos Namorados é um espaço contido pela vegetação, de forma irregular. Possui uma composição arquitetónica e vegetal desenhada segundo uma estrutura orgânica onde foram contempladas funções de lazer e de recreio.

O desenho orgânico é constituído pelos caminhos sinuosos, pelos canteiros de forma indefinida, onde se insere a vegetação ornamental. Esta composição naturalizada está, também, patente no contraste claro-escuro produzido pela vegetação, no relevo ondulado, nos muros de pedra irregular que ladeiam os percursos e sustentam a terra.

As zonas de clareira correspondem às áreas definidas para as atividades de recreio.

Os dois elementos que se encontram presentes no jardim são elementos de referência na memória deste lugar, cujas características formais e culturais facilitam na perceção da identidade do Jardim.

Sistema Vegetal: É dominante em relação ao espaço construído e do volume dos edifícios envolventes. Os três estratos vegetais são elementos de composição do espaço e de identidade da forma do mesmo, dando ao utilizador distintas sensações de contemplação e ambiências. 

- ARBÓREO: Melia azedarach L. – Mélia; Phoenix canariensis – Palmeira-das-Canárias; Schinus molle L. – Pimenteira-bastarda. Estado de Conservação: razoável.

- ARBUSTIVO: Lavanda angustifolia Mill – Alfazema; Ligustrum lucidum W. T. Aiton – Ligustro; Santolina chamaecyparissus L. chamaecyparissus – Santolina. Estado de Conservação: bom.

- HERBÁCEO: vivaz; revestimento - relva. Estado de Conservação: razoável.

Sistema de Rega: Automática: aspersão – aspersor e pulverizador.

Sistema de Água: Não existente.

Acessibilidades: Cumpre

Intervenções Realizadas: Em 2009 sofreu uma intervenção que permitiu algumas alterações no sistema vegetal, a instalação da rega automática, novo mobiliário urbano, bem como melhoria e recuperação da iluminação e do pavimento. Esta intervenção esteve a cargo da CM de Beja – DZV.

 

 

 

Jardim Gago Coutinho e Sacadura Cabral (Jardim Público)

 

Localização: Freguesia do Salvador, zona histórica.

 

Jardim Publico

Imagem satélite do Largo do Jardim Público e o enquadramento urbano. (Fonte: Google earth)

 

Enquadramento: Urbano, no limite da zona histórica e inserido na cerca do antigo Convento S. Francisco.

O Jardim assumiu ao longo do tempo diferentes tipologias, após ter sido espaço de produção (horta) durante a época do Convento e campo de treino militar quando o Convento deu lugar ao Quartel, no séc. XIX, o Coronel desta Infantaria cedeu parte da antiga cerca para espaço público, o primeiro Passeio Público da cidade. Numa época em que a população vivia dentro do centro histórico, malha compacta, o Jardim era lugar de encontro, de estadia ou de passeio público. Com o crescimento da cidade e consequente, densificação e artificialismo da área envolvente e da cidade o Jardim passa a ser uma componente indispensável de qualidade de vida, lugar de convívio e lazer. O Jardim constitui um elemento importante, pelas suas características dominantes, na estrutura ecológica urbana de Beja, assim como, na vida quotidiana dos seus habitantes.

É constituído por vários elementos singulares, que se traduzem no seu carácter identitário e no seu valor paisagístico e cultural.

Data de Construção: 1880.

Área: 2ha.

Tipologia: Jardim Histórico.

 

Utilização Atual: O jardim é um lugar pleno de simbolismos e de tradição para a sociedade de Beja. A ordem e a proporção dos elementos compõem um espaço de grande atratividade para diferentes utilizadores, que encontram aqui um lugar ao sol ou à sombra, de passeio, recreio, convívio e interação com outras pessoas.

Jardim Publico

Morfologia do Espaço: Fechado por gradeamento de ferro e com duas portas de acesso, desde o interior do Jardim são percetíveis os seus limites. O Jardim possui forma retangular caracterizado por uma estrutura formal geometrizada de composição retilínea. Esta estrutura expressa um carácter da arquitetura romântica, pela composição e harmonia entre os elementos, no contraste claro-escuro produzido pela vegetação, utilizando espécies exóticas, nos caminhos retilineos que se intersectam entre si e na criação de lugares pitorescos intimistas associados aos tanques e coreto.

A partir da entrada Poente, marcada pela estátua do Lidador, estende-se na direção Nascente o principal eixo estruturante do Jardim, concretizado numa rua alargada. Este eixo ladeado por árvores e canteiros culmina no monumento alusivo à

 morte do Lidador, em painel de azulejo implantado na fachada do volume edificado com cobertura em terraço. Adoçado ao volume edificado está implantado o polidesportivo.

Paralelamente ao eixo principal, a Norte, encontra-se um lugar de fruição, uma varanda/miradouro que se estende ao longo deste limite do Jardim. A meio do percurso de miradouro, está implantado o quiosque e a área de esplanada associada, definida por uma sebe. Contigua a esta área encontra-se a zona de mata.

A entrada Nascente é marcada pelo “lago dos patos”, o maior lago do Jardim com planta irregular, a sua maior atração assenta nos patos, gansos e peixes. Para além deste lago há mais três, de menor dimensão, distribuídos pelo Jardim. Dois dos quais, de planta irregular, estão associados a lugares de estadia escondidos e com carácter mais intimista. O terceiro de forma retangular está localizado no eixo principal, próximo da área envolvente à estátua em homenagem ao Lidador.

O parque infantil constituído pelo montinho alentejano e por diversos equipamentos lúdicos ocupa uma área central definida por sebe.

 

O coreto e o chafariz surgem em lugares isolados e ao mesmo tempo em destaque. O coreto de planta octogonal regular está colocado a Sul da rua principal e nas proximidades do parque infantil. O chafariz está próximo da entrada Nascente e por conseguinte do “lago dos patos”, implantado no centro de uma plataforma circular calcetada e rodeado de bancos


Jardim Publico

Sistema Vegetal: Domina no espaço, sendo utilizadas essencialmente espécies exóticas. A composição dos elementos vegetais criam contrastes claro-escuro, cheio e vazio, definem subespaços, dão cor e aroma ao Jardim. O conjunto da vegetação no Jardim desempenha um papel muito significativo na função ecológica da cidade. Das espécies presentes destacam-se as que mais predominam.

- ARBÓREO: Araucaria columnaris (Forst.) Hook. – Araucária; Brachychiton populneum (Schott & Endl.) R. Br – Braquiquiton; Casuarina equisetifolia L. – Casuarina; Celtis australis L. – Lodão; Cercis siliquastrum L. – Olaia; Cupressus sempervirens L. – Cipreste; Eugenia involucrata – Cerejeira-do-mato; Jacaranda mimosifolia – Jacarandá; Platanus hybrida Brot. – Plátano. Estado de Conservação: razoável.

- ARBUSTIVO: Berberis thunbergii DC. atropurpurea – Berberis; Nerium oleander L. – Loendro; Thuja subsp.; entre outros. Estado de Conservação: razoável.

- HERBÁCEO: vivazes; anuais; revestimento.

Sistema de Rega: Automática: aspersão – aspersor e pulverizador; localizada – gota-a-gota.

Sistema de Água: Constituído por quatro tanques de diferentes formas e dimensões. A presença da água simboliza vida e renovação.

Permeabilidade do Solo: Total.

Mobiliário Urbano e Equipamentos:

       · Bancos em material reciclado

       · Quiosque

       · Equipamento lúdico Infantil

       · Equipamento Geriátrico

       · Gaiolas de animais

       · Coreto

Acessibilidades: Cumpre.

Intervenções Realizadas: Década de 40, do século passado, após o ciclone que deixou devastado o Jardim.

Requalificação paisagística em 2009/2010, com introdução do sistema de rega.

 

 

 

Parque da Cidade   

 

Localização: Freguesia de Santiago Maior, zona periférica.

 

Parque cidade

Foto aérea do Parque da Cidade e da sua envolvente urbana. (Fonte: Google earth)

 

Enquadramento: O Parque da Cidade, à escala da cidade, ocupa uma posição periférica na zona de expansão Poente estruturada em função do espaço residencial, de serviços e lazer/desportiva. O Parque encontra-se limitado a Poente pelo IP2 (que também marca o limite do perímetro urbano), a Norte pela Rua de Lisboa, a Nascente pelo Bairro residencial Santo André (tipologia mista de prédios e moradias) e pela Escola Básica de Santiago Maior, a Sul a Mata dá continuidade ao espaço aberto (Parque).

Parque cidade

 

O Parque integra na estrutura ecológica urbana e está ligado e contíguo a outros importantes espaços abertos, esta continuidade constitui uma cintura “verde” predominantemente permeável, com equipamentos direcionados para as atividades desportivas e recreativas ao ar livre, proporcionado ao habitante urbano desfrutar dos elementos naturais, interagir com outras pessoas e praticar exercício, para além de equilibrar o ambiente e a biodiversidade do sistema urbano.

Data de Construção: 2004, projeto executado no âmbito da Beja Pólis.

Tipologia: Parque urbano.

Utilização Atual: Espaço de lazer, recreio e convívio social.

Área: 9ha.

Morfologia do Espaço: Para quem se desloca na área circundante ao Parque, este é um lugar facilmente apreendido, amplo e de limites abertos.

O Parque possui uma arquitetura recreativa e uma planta geométrica, apresentando o seu maior comprimento na direção Norte-Sul, cujo desenho contempla diversas funções, estadia, contemplação, recreio e passeio/circulação.

O lago retangular de grandes dimensões ocupa o centro do espaço e é um elemento marcante deste lugar, este tanque abastece todos os outros tanques e canais de água situados a Poente (a cota inferior). Aos canais de água estão associadas espécies vegetais características de ambientes ribeirinhos.

A Norte do lago grande encontra-se o restaurante, onde é possível subir ao topo e desfrutar da paisagem e de onde desce a cascata para o lago. Ainda junto a este espelho de água está implantado um café esplanada.

O Parque dispõe de vários subespaços de estadia, de recreio, com equipamentos desportivos e lúdicos e de estacionamento automóvel.

Parque cidade


Sistema Vegetal: Domina a diversidade de espécies vegetais de diferentes estratos, associados a vários ambientes ecológicos. Estão presentes espécies características da paisagem alentejana, como os sobreiros, os pinheiros, medronheiro e o prado, outros elementos tradicionais como figueiras e nespereiras, espécies dos sistemas húmidos como os salgueiros, choupo e a vegetação ribeirinha, etc. Contudo, também está presente elementos de carácter mais urbano como os relvados, reservados para as áreas de desporto livre. Entre as espécies presentes destacam-se:

- ARBÓREO: Casuarina equisetifolia L. – Casuarina; Celtis australis L. – Lodão; Pinus pinea L. – Pinheiro-manso; Platanus hybrida Brot. Plátano; Quercus suber L. – Sobreiro; Tipuana tipu (Benth.) Kuntze – Tipuana.

- ARBUSTIVO: várias espécies de sistemas seco e húmido. Estado de Conservação: bom.

- HERBÁCEO: várias espécies de sistemas seco e húmido. Estado de Conservação: razoável.

Sistema de Rega: Aspersão.

Sistema de Água: Lagos, cascata e canais de água.

Permeabilidade do Solo: A área é totalmente permeável, permite a diminuição dos caudais de escorrência devido à infiltração da água.

Mobiliário Urbano e Equipamentos: Restaurante, café/esplanada, bancos, candeeiros, papeleiras e equipamento lúdico infantil.

Acessibilidades: Cumpre.