Câmara Municipal de Beja

Controle de Pragas


 

Controlo de pragas
 

A EMAS promove periodicamente campanhas de controlo de pragas, nomeadamente de ratos e baratas (desratizações e desbaratizações). Esta ação preventiva tem como objetivo controlar o risco que as pragas constituem para a saúde pública. As intervenções realizadas concentram-se nos espaços públicos de todo o concelho.

As campanhas são efetuadas por empresas especializadas nessa área, que recorrem à melhor tecnologia disponível para o combate às pragas.
 

Pragas

Estas campanhas consistem na colocação de iscos rodenticídas anticoagulantes, para controlo dos ratos e gel insecticida, para combate de baratas, nas câmaras de esgoto em todo o concelho, com especial incidência nas zonas já identificadas com focos destas pragas.
 

 

 

A colaboração de todos é importante, pelo que a autarquia recomenda:

· Tapar os buracos ou tocas onde os ratos se escondem;

· Não depositar entulhos que possam servir de abrigo aos ratos;

· Não colocar lixo fora dos contentores;

· Evitar o contacto de animais domésticos com os iscos;

· Não mexer nem mudar os iscos colocados pelas brigadas;

· Manter as crianças afastadas das zonas em tratamento.

 

 

Pombos
 

A Câmara Municipal de Beja quer controlar a população de pombos na cidade. O excesso de alimento disponível, devido ao hábito de se dar milho ou pão aos pombos tem conduzido a uma proliferação incontrolável do número de exemplares desta espécie e como nem sempre essa alimentação é a mais adequada, provoca carências e doenças nestas aves.
 

Quais os problemas do excesso de pombos nas cidades?

. Nas cidades estes animais não têm predadores o que conduz a que mesmo os mais fracos e inadaptados sobrevivam, apesar das inúmeras doenças a que estão sujeitos, contribuindo desta forma para o enfraquecimento genético da espécie.
. Podem ser portadores de doenças transmissíveis ao Homem, que provocam problemas respiratórios e de alergias, principalmente às crianças e aos idosos (os que mais convivem com estas aves).
. Os dejetos dos pombos corroem os monumentos históricos, pois são muito ácidos, danificam a pintura dos automóveis e descoloram as pedras das edificações.
. Contribuem para a sujidade das ruas, quer pelos dejetos, quer pelo excesso de comida que lhes é distribuída.

Porque a higiene pública é fundamental para a saúde e qualidade de vida da população, o Regulamento Municipal de Resíduos Sólidos e Higiene Urbana do Concelho de Beja proíbe a alimentação de animais na via pública, sendo esta acção punível com uma coima até 250 €.
 

 

Pombos

 

O que podemos fazer?

. Não alimentar os pombos da cidade.
. Não deixe restos de comida em locais acessíveis às aves.
. Acondicione o lixo em sacos bem fechados e coloque-os sempre dentro do contentor.
. Lave sempre bem as mãos depois de mexer em animais e ensine as crianças a fazê-lo.
. Não remover os dejectos dos pombos a seco, deve-se humedecê-los para evitar a inalação das poeiras. 

 

 

 

Por isso, colabore. Não os alimente, para que possam voltar a viver com saúde!